terça-feira, 12 de abril de 2011

Artigos Complementares de nº 01/2011 - Instituto AACILUS


Estratégias de Inovação para o Desenvolvimento, 
autor:  Glauco Arbix 

O poema “Antologia” é ícone da arscombinatoria. O poeta criou sentido,  ou seja, inovou, com versos antigos. Foi, por assim dizer, um mestre na arte que moldou o sentido contemporâneo da palavra “inovação”, palavra de encruzilhada, de síntese e de movimentação. Para além da poesia, inovação, com esse sentido, ganhou mais autonomia e perdeu a condição de coadjuvante a que foi submetida pela ciência e pela tecnologia. 

O alvo do inovador é a surpresa e a novidade, como no poema. Mas nem sempre isso se dá pela via da invenção; quase sempre pelo rearranjo, pela combinação e pela exploração. Essa é a sua força e virtude. Com esse sentido amplo, inovação tem hoje presença obrigatória nas estratégias de desenvolvimento no mundo todo.


Gerada em ambiente cada vez mais globalizado, destaca-se atualmente como uma das mais significativas fontes do bom desempenho econômico das nações. Com diferentes formatos, dimensões e características, os processos de inovação geram aumento de produtividade, empregos de melhor qualidade e elevação do nível de bem-estar, além de auxiliar no enfrentamento de todos os desafios ligados ao meio ambiente. Nos países mais avançados é difícil encontrar algum documento de governo ou declaração de empresário que não faça menção às suas potencialidades, tidas atualmente como críticas para a elevação da produtividade e da competitividade das economias contemporâneas. 

Nem sempre foi assim, porém. Há alterações profundas no modo de conceber, abordar e, principalmente, utilizar hoje a inovação, tanto nas instituições responsáveis pela formulação de políticas públicas como nos meios empresariais e acadêmicos. Alterações que diminuíram o foco da ciência e tecnologia – consolidadas nos vários indicadores de pesquisa e desenvolvimento (P&D) – tradicionalmente vistas como determinantes do crescimento dos países, e deram relevo a outras dimensões que, cada  vez mais surpreendente, apareciam nos indicadores como primeiro motor das economias... o artigo completo encontra-se no e-mail do aluno para download. 

Instituto AACILUS

Nenhum comentário:

Postar um comentário