terça-feira, 21 de dezembro de 2010

O ESPIRITO SANTO E A ROTA IMPERIAL DA ESTRADA REAL

Fonte: pesquisador João Eurípedes Franklin Leal UFRJ

Registros históricos confirmam que o imperador D. Pedro II, em visita ao Espírito Santo em 1860, viajou pela Rota Imperial da Estrada Real para chegar a Vitória, inclusive se hospedou e se alimentou em casarios, alguns preservados até hoje, que ficavam às margens da estrada capixaba. A família Monteiro, quando deixou Minas Gerais para se fixar no Espírito Santo, também usou o trajeto. Mais tarde, seus celebres descendentes, que fizeram história em solo capixaba: Jerônimo, Bernardino e o bispo D. Fernando, também utilizaram regularmente a Rota Imperial para completar seus estudos no Caraça, próximo a Ouro Preto. São fragmentos históricos como esses que estão sendo levantados para provar que a Rota Imperial fez sim parte da Estrada Real no ES.
 


A Comissão de Turismo da Assembléia Legislativa do Espírito Santo, comandada pela deputada Luzia Toledo, trouxe o assunto à tona com a missão de incluir o Espírito Santo na Rota Imperial da Estrada Real. A comissão, que recentemente apresentou seus argumentos na Assembléia Legislativa de Minas Gerais, tenta convencer os colegas mineiros que já há elementos históricos suficientes para validar o trecho capixaba como parte da Estrada Real
.
Para assegurar consistência histórica ao projeto "Rota Imperial da Estrada Real" a comissão mandou chamar um dos maiores estudiosos do assunto, o historiador e pesquisador João Eurípedes Franklin Leal, diretor do Departamento de Arquivologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). leia mais detalhes sobre o tema, clicando no link desta edição.


Nenhum comentário:

Postar um comentário